Catecismo da Igreja Católica (CIC)

Olá! nesse post sobre formação da fé Católica iremos apresentar alguns pontos resumidos sobre o querido livro de capa amarela, que pelo menos uma vez durante a nossa caminhada já vimos alguém carregando ou citando em alguma pregação ou formação.

Para começar, o catecismo da Igreja católica, abreviado como CIC, foi publicado em 1992 pelo Papa São João Paulo II por meio da Constituição Apostólica Fidei Depositum (depósito da fé). Porém antes da promulgação desta constituição e instituição do CIC, existiu um caminho longo que foi percorrido por quatro Papas em 30 anos.

Para falar sobre o catecismo é preciso entender a história de onde e como ele surgiu, portanto começaremos pelo Concílio Vaticano II.

Em 11 de outubro de 1962, há 57 anos, iniciou o Concílio Vaticano II (CVII), no papado de João XXIII que “tinha confiado como tarefa principal guardar e apresentar melhor o precioso depósito da doutrina cristã, para o tornar mais acessível aos fiéis de Cristo e a todos os homens de boa vontade.” (CIC. p. 7). Este concílio durou três anos, encerrando em 8 de dezembro de 1965 com o Papa Paulo VI.

Padre Paulo Ricardo em seu curso sobre o Credo Apostólico explica que o CVII surgiu para reexplicar de outra forma, as mesmas verdades de fé de sempre, pois a fé que temos baseada na Sagrada Escritura, Sagrada Tradição e Sagrado Magistério, não muda, o que pode ser mudado é a forma como é explicada.

Passados 20 anos do início do CVII, em 25 de janeiro de 1985 o Papa São João Paulo II convocou uma Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos, para celebrar o encerramento do CVII. Neste encontro os padres sinodais recorreram ao Papa para “expressar o desejo de que seja composto um Catecismo ou compêndio de toda a doutrina católica, tanto em matéria de fé como de moral, para que ele seja como um ponto de referência” (CIC. p. 8).

A partir desta demanda, o Papa São João Paulo II, em 1986 instituiu uma comissão com 12 cardeais e bispos para que fossem responsáveis pelo projeto do CIC, e o presidente desta comissão foi o Cardeal Joseph Ratzinger, que em seguida seria o Papa Bento XVI. Ainda, para incorporar esta comissão, foram convidados mais sete bispos especialistas em teologia e catequese para serem os redatores do documento.

O documento foi escrito durante seis anos, sendo publicado em 11 de outubro de 1992 com a constituição apostólica Fidei Depositum.

São João Paulo II explica o que deve ser este novo documento:

Um catecismo deve apresentar, com fidelidade e de modo orgânico, o ensinamento da Sagrada Escritura, da Tradição viva da Igreja e do Magistério autêntico, bem como a herança espiritual dos Padres, dos Santos e das Santas da Igreja, para permitir conhecer melhor o mistério cristão e reavivar a fé do povo de Deus. Deve ter em conta as explicitações da doutrina que no decurso dos tempos, o Espírito Santo sugeriu à Igreja. É também necessário que ajude a iluminar, com a luz da fé, as novas situações e os problemas que ainda não tinham surgido no passado. (CIC, p. 10).

Portanto agora, temos o Catecismo da Igreja Católica como um documento que surgiu à luz do CVII com base na Sagrada Escritura, Sagrada Tradição e Sagrado Magistério, que nos serve como referência segura para buscar os ensinamentos da doutrina católica, sobre fé e moral, acerca de diferentes assuntos.

O Catecismo é dividido em quatro partes: A profissão da fé; A celebração do Mistério Cristão; A vida em Cristo; A oração Cristã.

Na primeira parte, encontramos a explicação da Revelação, passando pelo caminho do conhecimento de Deus e a busca pela fé. Nesta parte, o catecismo explora aquilo que a Igreja Católica acredita, com base no Credo Apostólico. 

A segunda parte, a celebração do mistério Cristão, apresenta a forma como celebramos a nossa fé, focando nos sete sacramentos da Igreja.

A vida em Cristo, fala sobre a vocação do homem, em como viver na sociedade, com a moral Cristã, à luz dos dez mandamentos da Lei de Deus.

Por fim, na última parte encontra-se os ensinamentos sobre a vida de oração, o modo como rezamos e vivemos espiritualmente. 

O catecismo é organizado por tópicos/assuntos em parágrafos, contendo 2865 destes. Ao fim de cada tema, encontramos um singelo resumo. Com isso, podemos fazer o estudo do CIC de diferentes maneiras, como por exemplo, estudar por assuntos, ou ler o documento na íntegra, ou ainda, começar pela parte três e depois estudar a parte um. Enfim, é um documento de referência, para consulta aos ensinamentos da Santa Igreja.

Setor Juventude da Arquidiocese de Florianópolis/SC se reúne e planeja 2020

No dia 15 de fevereiro, na Paróquia São João Evangelista, em Biguaçu, o Setor Juventude da Arquidiocese de Florianópolis se reuniu para planejar seus objetivos e ações para o ano de 2020.

No início da reunião, o assessor eclesiástico do Setor Juventude, Pe. Ewerton Gerent, lembrou que o setor é um espaço de articulação e comunhão das diversas expressões juvenis da arquidiocese. Sendo ele um espaço de troca de experiências entre os grupos, movimentos, novas comunidades, congregações e demais expressões juvenis, com o propósito de fortalecer a evangelização dos jovens.

Eventos em 2020

Na pauta, além de integrar os líderes jovens que representam as diversas expressões juvenis da arquidiocese, também estava o planejamento das atividades do setor. A mais próxima dessas atividades é o 3º Encontro de Formação de Líderes Jovens, que está programado para acontecer no dia 22 de março, em local a ser divulgado.

O evento terá quatro oficinas em sua programação, divididas em:

1) assessoramento para adultos que trabalham ou querem trabalhar com a juventude, a fim de que saibam entender os anseios dos jovens;

2) mídias sociais e seus impactos da vida do jovem atual;

3) ansiedade e depressão, formação para entender melhor essa doença que tanto tem atingindo os jovens, assim como poder reconhecer os sintomas e orientar o jovem a procurar ajuda especializada; e

4) grupos de jovens, formação para todos aqueles que trabalham ou querem trabalhar com jovens.

Também foram discutidos a Jornada Arquidiocesana da Juventude, que acontecerá no dia 28 de junho no Centro de Evangelização Angelino Rosa (CEAR), em Governador Celso Ramos; e o Dia Nacional da Juventude, no dia 25 de outubro, que acontecerá conforme a programação de cada forania.

Na reunião, também foi conversado sobre a presença da Igreja nas mídias sociais na evangelização dos jovens. O tema é tão importante para o setor que está programado para trazer a questão tanto na Formação de Líderes Jovens, quanto na Jornada Arquidiocesana da Juventude.

Caminho de santidade

Ao final da reunião, Pe. Ewerton e Murilo Spinola, do Movimento de Emaús, apresentaram a causa de beatificação do jovem Marcelo Câmara aos líderes jovens, que inicia sua fase diocesana em 8 de março, às 15h, no Santuário dos Ingleses, em Florianópolis. Marcelinho, como carinhosamente era chamado, foi um jovem que buscou a santidade em sua vida terrena e, agora, é pedido para que os jovens conheçam a sua história e se inspirem a buscar também uma vida de santidade, além de contribuir e rezar pela causa de sua beatificação.

Mais informações do Setor Juventude podem ser encontradas no site: arquifln.org.br/juventude, e no Instagram: @juventudefln.

Texto e fotos: Murilo Spinola/Setor Juventude

18 de fevereiro de 2020 em 10:20 Pe. Ewerton GerentSetor Juventude

Fonte: https://arquifln.org.br/noticias/setor-juventude-da-arquidiocese-se-reune-e-planeja-2020/

Campanha de Doação de Amor em litros de Sangue

Como participar:

1º – Faça seu #MovimentoDeAmor doando sangue no Hemocentro mais próximo.

2º – se quiser incentivar outras pessoas a entrarem nessa corrente bata uma foto e poste marcando o @movimentoaguaviva_ e a #MovimentoDeAmor
Ou ajude a divulgar com a imagem oficial da campanha.

3º – Informe a quantidade de sangue que vc doou pelo http://bit.ly/MovimentoDeAmor e ajude a campanha a atingir a meta de 10 Litros de amor em sangue doado.

Medidor de amor
em litros de sangue doados:

Acompanhe a campanha pelo nosso Medidor de amor em litros de sangue doados:

COMO AVANÇAR NA VIDA DE SANTIDADE

Nós, que já participamos da igreja a algum tempo, temos sempre um desejo de querer nos aprofundar na vida de santidade. Podemos cair na tentação de querer ser novidadeiros, buscar sempre algo novo – mirabolante – para fugir da mesmice das pregações que sempre ouvimos. Mas, por que não revisitarmos o que já sabemos para relembrar aquilo que é essencial? Vamos lá, todos já ouvimos e sabemos: somos amados por Deus, Deus é amor e nós queremos retribuir o seu amor amando – sendo santos.

Se queremos nos aprofundar na vida de santidade, primeiro é preciso fazer a pergunta fundamental: o que é ser santo? Diz o Papa Francisco:

“Tu tens que descobrir quem és e desenvolver o teu caminho próprio de ser santo, independentemente daquilo que dizem e pensam os outros. Chegar a ser santo é tornar-te mais plenamente tu mesmo, ser aquele que Deus quis sonhar e criar, não uma fotocópia”.

(Christus Vivit, n. 162)

Ou seja, ser santo é tornar-se aquilo que se é: filho de Deus! E, como sabemos que fomos criados por Amor e para Amar, ser santo é tornar-se capaz de viver totalmente na lógica do amor. Por isso, tornar-se santo nos pede um processo profundo e intenso de autoconhecimento. Esse processo precisa ser feito na dinâmica das três relações do amor: a mim mesmo, ao próximo e a Deus. Podemos pensar o fazer-se santo como um exercício diário de descobrir quem eu sou através do como eu amo. Ser santo é, descobrindo-me, aceitando-me, superando-me, tornar-me capaz de amar sempre mais e melhor.

Mas, como posso fazer isso?

Lembram daquele jovem rico? Pois bem, vamos ver o que Cristo nos ensina com a vida dele.

Tendo perguntado ao Cristo o que era preciso fazer para ter a vida eterna (tinha desejo de santidade!) a resposta foi: “Observa os mandamentos”. Mas, isso o jovem já fazia. Então, perguntou: “Que me falta ainda?” – Jesus respondeu: “Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me”. (Cf. Mt 19, 16-26)

O que Cristo pede ao catequisado é algo simples, mas não fácil. Desapega-te, deixa de lado a mentalidade de que apenas seguir os mandamentos é o que te faz perfeito, é a mensagem de Jesus. O que te faz perfeito, santo, é a caridade – e, através dela, o seguimento Aquele que nos traz a boa nova. Se queres ser santo, vive na ótica do amor e vem, tu – sem riquezas, sem seguranças, apenas tu – e segue-me, é o chamamento a cada um de nós. Torna-te santo, torna-te capaz de doar o que tens aos necessitados – seja atenção, carinho, afeto, dinheiro ou apenas a alegria que brota do teu encontro com Deus.

Cristo nos convida, através daquele jovem, a voltar o nosso olhar sobre aquilo que é o centro do anuncio cristão: Deus é amor! (1 Jo 4, 8). De novo, pedindo auxílio ao Papa, podemos dizer que o centro da nossa fé (e as verdades que nos tornam santos!) são essas: Deus nos ama! Cristo nos Salva! Ele vive! (Christus Vivit, cap. IV)

Se queremos ser perfeitos, precisamos lembrar sempre dessas três verdades. Tendo descoberto cada uma delas, precisamos anunciá-las com as nossas vidas, através da alegria da nossa juventude. Quem descobriu este grande tesouro do amor de Deus, do Cristo que salva e da vida que Dele brota, não pode ser triste! Ele é o motivo da nossa alegria e, por isso, não podemos desanimar.

Ser Água Viva é ser esse sinal no mundo de uma alegria que contagia. É ser sinal no mundo enquanto pessoas santas, encontradas, que se amam, amam os outros e conhecem o Amor. Ser Água viva é muito mais que obedecer mandamentos, muito mais que decorar normas, muito mais que não pecar contra os mandamentos. Ser Água viva é dar vida a água parada que o mundo é.

E aí, o que falta na minha vida e na tua vida para que nós possamos ser esse sinal de amor? Quais dimensões da nossa existência precisamos revisitar, arrumar, lavar com a água do amor para superar uma vida de “cumpro minhas obrigações” e transformá-la em uma vida de “vivo a caridade”? O que precisa de um novo impulso de amor?

Para cada um de nós fica o convite:

Enquanto lutas para moldar teus sonhos, vive plenamente o hoje, entrega tudo e enche de amor cada momento. Porque é verdade que este dia pode ser o último, e então vale a pena vivê-lo com toda vontade e com toda profundidade possível”.

(Christus Vivit, n. 148)

Por Paulo Zanelato Silvano13 de janeiro de 2020

Castidade – Um chamado de Deus

Os jovens do Movimento Água Viva solicitaram aos seus casais um encontro que discutisse a temática da Castidade a luz da doutrina Católica Apostólica Romana. Para atender esta demanda, foi realizado um encontro que aconteceu no dia 05/10/2019 na igreja Nossa Senhora de Loreto, Base Aérea de Florianópolis/SC – Brasil, que contou com 3 momentos.

No primeiro momento ocorreram duas palestras, a primeira ministrada pelo Leandro da Jeane e a segunda ministrada pelo Jeferson da Schaiane. No segundo momento aconteceu uma roda de conversa segmentada entre os homens e entre as mulheres. No terceiro momento realizou-se um fechamento com oração e uma adoração ao Santíssimo Sacramento ministrado pelo Samir da Natalia. Jovens, Adultos e Casais participarem deste belo momento.

O primeiro momento foi gravado e disponibilizado no formato de Podcast nos principais players da internet:

Siga nosso podcast no Spotify
Siga nosso podcast no Spotify

Aniversário de 29 anos do MAV :)

Nosso momento de comemoração dos 29 anos do Movimento. Será um momento de convivência e descontração.

Como vai funcionar?

Pedimos que a cada dois levem um prato para ser compartilhado (salgadinho, torta salgada, pão de queijo, bolo) e um refrigerante, suco ou água.

Santa Missa

De lá iremos direto para a Santa Missa em ação de graças ao Movimento, e depois da missa partiremos um bolo com a comunidade!

Bora passar uma tarde maravilhosa com os irmãos e terminar com a presença de Deus, tem jeito melhor de comemorar?? Contamos com a presença de todos!!

CHAP CHAP 💙🕊

Noite de oração

Nossa NOITE DE ORAÇÃO está chegando e nós convidamos a você para estar diante do Senhor e agradecer por toda a história do Movimento Água Viva, vamos louvar as provações, a persistência de cada pessoa que já passou pelo movimento e lutou para que ele permanecesse chegando a novas pessoas. Vamos louvar por esse chamado, por esse carisma e essa nova fase. Te esperamos lá 💙🕊. Domingo dia 08/09 às 19h com a Santa Missa.

12º semana: São Mateus

Pontos práticos

  1. Peça a intercessão de São Mateus diariamente para que ele possa nos guiar como movimento
  2. Que durante nosso dia tenhamos São Mateus como espelho nas nossas ações, aquele que respondeu e seguiu prontamente ao Senhor.
  3. Procure ler sobre a vida de São Mateus e pesquisar mais sobre esse santo durante sua semana.

Leituras

Segunda: Mateus 10, 1-10
Terça: Lucas 5, 27-32
Quarta: Mateus 12, 46-50
Quinta: Mateus 18, 19-20
Sexta: João 15, 16-17
Sábado: João 15, 20-22
Domingo: Mateus 28, 18-20